CONTROLE DA PERIODONTITE COMO ESTRATÉGIA DE MANEJO DO DIABETES: ALTERAÇÃO DOS NÍVEIS DE HEMOGLOBINA GLICADA

Autores

  • Rodolfo dos Santos Santana Universidade Estadual de Feira de Santana http://orcid.org/0000-0001-5370-4982
  • Soraya Castro Trindade Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Jamile Oliveira Azevedo Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Simone Seixas da Cruz Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Isaac Suzart Gomes Filho Universidade Estadual de Feira de Santana

DOI:

https://doi.org/10.13102/jeuefs.v2i2.6042

Resumo

Introdução

A periodontite é uma doença inflamatória que acomete os tecidos de proteção e sustentação dos dentes e é caracterizada por vermelhidão e tendência ao sangramento provocado pela sondagem. (LINDHE, 2013). Está relacionada ao diabetes mellitus, definido como um grupo de doenças metabólicas caracterizadas por hiperglicemia resultante de defeitos na secreção de insulina, ação da insulina ou ambos (CASANOVA et al. 2014). O tratamento periodontal curativo e preventivo pode evitar que o paciente diabético venha a perder dentes e, além disso, pode garantir um melhor controle metabólico. Por isso a importância do encaminhamento para avaliação periodontal tão logo seja diagnosticado o diabetes.

Material e Métodos

Foi realizado um levantamento no Centro de Atendimento ao Diabético e Hipertenso de cidade de Feira de Santana (CADH/FSA) para a identificação dos indivíduos com diabetes em acompanhamento. O exame clínico (anamnese e exame físico) desses indivíduos foi então realizado, com especial ênfase à condição periodontal. Os participantes tiveram a condição do nível glicêmico avaliado através da dosagem da hemoglobina glicada (HbA1c), de acordo com o método de cromatografia líquida de alto desempenho (HPLC - High Performance Liquid Chromatography). 

Resultados e Discussão

Foi observada diferença estatisticamente significante entre os grupos nas concentrações plasmáticas de HbA1c (p=0,010). A mediana dos valores de HbA1c no grupo 1 foi de 5,8 (IQ:5,3-6,5), enquanto a do grupo 2 foi de 6,0 (IQ:5,5-6,3).

Considerações Finais

Com base nos resultados e nas condições do presente estudo, é possível concluir que indivíduos com periodontite grave generalizada tendem a apresentar um nível glicêmico mais alto.

Referências

CASANOVA, L.; HUGHES, F.J.; PRESHAW, P.M. Diabetes and periodontal disease: a two-way relationship. British Dental Journal British Dental Journal, v. 217, n. 8, p. 433-437, out. 2014.

LINDHE, J. Tratado de Periodontologia Clínica, 6 ed, Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2013.

TUNES, S.R.; FOSS-FREITAS, M.C.; NOGUEIRA-FILHO, G.R. Impact of periodontitis on the diabetes-related inflammatory status. J. Can. Dent. Assoc, v. 76, n. 1, p. 35, Ago. 2010.

SILVA, E.B.; GRISI, D.C. Periodontia no contexto interdisciplinar: integrando as melhores práticas: A interface entre a periodontia e condições sistêmicas. v. 2, Nova Odessa SP: Napoleão, 2015.

BRUNETTI, M.C. Periodontia Médica: Uma Abordagem Integrada. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2004.

Downloads

Publicado

2021-11-19