A particularidade árabe de Jorge Amado

Autores

  • Valter Luciano Gonçalves Villar Universidade do Estado do Amazonas - UEA; Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas - FAPEAM

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v22i3.6234

Resumo

O presente artigo trata do estudo das configurações árabes na obra de Jorge Amado. Para tanto, elegemos como textos privilegiados dessa pesquisa os vinte e quatro romances publicados pelo autor, onde buscamos observar as similaridades e diferenças nas representações do imigrante árabe, bem como as linhas responsáveis pela configuração da identidade árabe-brasileira do sul da Bahia, tecida pela inter-relação entre os traços culturais do sertanejo e os traços culturais dos árabes, ambos tangidos de suas terras, pela necessidade ou pelas guerras.  Como referencial teórico metodológico, nos valeremos das contribuições de Edward Said, no que diz respeito à compreensão do universo árabe no Ocidente; dos estudos de Alice Raillard acerca das escolhas estéticas do escritor baiano; e das confissões do próprio autor sobre o seu fazer literário.

Biografia do Autor

Valter Luciano Gonçalves Villar, Universidade do Estado do Amazonas - UEA; Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas - FAPEAM

Literatura Brasileira. Letras

Referências

AMADO, Jorge. A descoberta da América pelos turcos ou de como o árabe Jamil Bichara, desbravador de florestas, de visita à cidade de Itabuna para dar abasto ao corpo, ali lhe ofereceram fortuna e casamento ou ainda os esponsais de Adma: romancinho. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 1994.

AMADO, Jorge. A morte e a morte de Quincas Berro D’água: romance. 48. ed. Rio de Janeiro:

Record, 1981 h.

AMADO, Jorge. Cacau. 35. ed. Rio de Janeiro: Record, 1979 c.

AMADO, Jorge. Capitães da Areia: romance. 50. ed. Rio de Janeiro: Record, 1980 c.

AMADO, Jorge. Dona Flor e seus dois maridos: história moral e de amor: romance. 35. ed. Rio de

Janeiro: Record, 1981 j.

AMADO, Jorge. Farda, fardão, camisola de dormir: fábula para acender uma esperança: romance. 5. ed. Rio de Janeiro: Record, 1980 e.

AMADO, Jorge. Gabriela, cravo e canela: crônica de uma cidade do interior. 59. ed. Rio de Janeiro:

São Paulo: Record, 1979 a.

AMADO, Jorge. Jubiabá: romance. 40. ed. Rio de Janeiro: Record, 1981 d.

AMADO, Jorge. Mar morto: romance. 51. ed. Rio de Janeiro: Record, 1980 b.

AMADO, Jorge. O país do carnaval. 36. ed. Rio de Janeiro: Record, 1979 b.

AMADO, Jorge. Os pastores da noite. 33. ed. Rio de Janeiro: Record, 1980 d.

AMADO, Jorge. Os subterrâneos da liberdade: ásperos tempos. 33. ed. Rio de Janeiro: Record, 1981 c, v. 1.

AMADO, Jorge. Os subterrâneos da liberdade: agonia da noite. 33. ed. Rio de Janeiro: Record, 1981 e, v. 2.

AMADO, Jorge. Os subterrâneos da liberdade: a luz no túnel. 33. ed. Rio de Janeiro: Record, 1981 f, v. 3.

AMADO, Jorge. O sumiço da Santa: uma história de feitiçaria. 2.ed. Rio de Janeiro: Record, 1992.

AMADO, Jorge. Os velhos marinheiros: ou, a completa verdade sobre as discutidas aventuras do

comandante Vasco Moscoso de Aragão, capitão de longo curso. Romance. 45. ed. Rio de

Janeiro: Record, 1981 i.

AMADO, Jorge. São Jorge dos Ilhéus: romance. 41. ed. Rio de Janeiro: Record, 1981 b.

AMADO, Jorge. Seara vermelha: romance. 37. ed. Rio de Janeiro: Record, 1981 g.

AMADO, Jorge. Suor: romance. 33. ed. Rio de Janeiro: Record, 1980 a.

AMADO, Jorge. Tenda dos milagres: romance. 25. ed. Rio de Janeiro: Record, 1981 l.

AMADO, Jorge. Tereza Batista cansada de guerra: romance. 15. ed. Rio de Janeiro: Record, 1981 m.

AMADO, Jorge. Terras do sem fim: romance. 44. ed. Rio de Janeiro: Record, 1981 a.

AMADO, Jorge. Tieta do Agreste, pastora de cabras ou a volta da filha pródiga, melodramático folhetim em cinco sensacionais e empolgantes episódios: emoção e suspense: romance. 6. ed. Rio de Janeiro: Record, 1981 n.

AMADO, Jorge. Tocaia grande: a face obscura. Rio de Janeiro: Record, 1984.

AMADO, Jorge. Gazeta de Notícias. In: TATI, Miécio. Jorge Amado: vida e obra. Belo Horizonte: Itatiaia, 1961.

BASTIDE, Roger. Sobre o romancista Jorge Amado. In: MARTINS, José de Barro (Org). Jorge Amado, povo e terra: 40 anos de literatura. São Paulo: Martins, 1971.

BOSI, Alfredo. História concisa da Literatura Brasileira. 40 ed. São Paulo: Cultrix, 1994.

DUARTE, Eduardo de Assis. Jorge Amado: romance em tempo de utopia. Natal: UFRN, 1995.

FREYRE, Gilberto. Modernidade e Modernismo nas Artes. In: DINIZ, Clarissa; HEITOR, Gleyce. (Orgs). Gilberto Freyre. Rio de Janeiro: FUNARTE, 2010.

HAJJAR, Claude Fahd. Imigração Árabe: 100 anos de reflexão. São Paulo: Ícone Editora,1985.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 11 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

MEDAUAR, Jorge. Introdução: aspectos gerais da cultura árabe. Revista de Estudos Árabes, n. 1, DLO-FFLCHUSP, 1993. Disponível em: <http://www.hottopos.com/collat7/medauar.htm>. Acesso em: 07 jul. 2020.

OLIVEIRA, Lucia Lippi. O Brasil dos imigrantes. 2 ed. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2002.

RAILLARD, Alice. Conversando com Jorge Amado. Tradução de Annye Dymetman. Rio de Janeiro: Record, 1990.

SAID, Edward. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. Tradução Tomás Rosa Bueno. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

SEIXAS, Cid. Modernismo e Diversidade: impasses e confrontos de uma vertente regional. [Revista Eletrônica] Légua & Meia: Revista de Literatura e Diversidade Cultural. 2004. Disponível em < http://leguaemeia.uefs.br/2/2_43-52modernismo.pdf> Acesso em set de 2020.

TATI, Miécio. Jorge Amado: vida e obra. Belo Horizonte: Itatiaia, 1961.

TORRES, Alberto. A Organização Nacional. 4 ed. São Paulo: Editora Nacional, 1982.

ZEGHIDOUR, Slimane. A Poesia Árabe Moderna e o Brasil. Tradução de Daniel Aarão Reis Filho. São Paulo: Brasiliense, 1982. (Coleção tudo é história)

Downloads

Publicado

2022-05-07

Como Citar

Gonçalves Villar, V. L. (2022). A particularidade árabe de Jorge Amado. A Cor Das Letras, 23(1), 7–21. https://doi.org/10.13102/cl.v22i3.6234

Edição

Seção

Dossiê: Um Jorge Amado para o século 21: leitores, narração, identidade, humanismo e mundos ficcionais