O sincretismo religioso e a relevância sociocultural da literatura de Jorge Amado

Autores

  • Marcelo Barbosa dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v22i3.7487

Palavras-chave:

Sincretismo Religioso. Racismo. Intolerância Religiosa. Relevância Sociocultural. Jorge Amado.

Resumo

O artigo tem o objetivo de discutir sobre o sincretismo religioso, considerado uma maneira de “disfarce” (PRANDI, 2009, p. 50) para os escravos cultuarem os seus deuses ou orixás oriundos da grande mãe África. Além de ser visto, também, por outros teóricos, como uma estratégia para o homem negro e a mulher negra serem aceitos pela sociedade branca do período colonial escravagista. Paralelo a estas discussões de caráter sincrético, o artigo também ressalta a literatura de engajamento e relevância sociocultural do escritor Jorge Amado (1912 – 2001) por meio de algumas passagens das obras: Tenda dos Milagres (1969) e Mar Morto (1936), que discutem questões a respeito do racismo, da intolerância religiosa e do próprio sincretismo religioso presente na imagem da orixá Iemanjá, destacando, assim, os seus rituais.

Referências

AGUIAR, J. Jorge Amado: Uma biografia. São Paulo: Todavia, 2018.

AMADO, J. Mar morto. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

AMADO, J. Tenda dos Milagres. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

ASSIS, R. N. O sincretismo: dos candomblés sincréticos às casas reafricanizadas. Dignidade Re-Vista. v.2, n.4, december 2017. Disponível em: http://periodicos.pucrio.br/index.php/dignidaderevista/article/view/458. Acesso em: 18 de janeiro de 2021.

BARBOSA JÚNIOR, A. O livro essencial da umbanda. São Paulo: Universo dos Livros, 2014.

BARROS, C. A. Iemanjá e pomba-gira: imagens do feminino na Umbanda. Dissertação (Mestrado em Ciência da Religião). Juiz de Fora: UFJF, 2006. Disponível em: https://docplayer.com.br/21271679-Cristiane-amaral-de-barros-iemanja-e-pomba-giraimagens-do-feminino-na-umbanda.html. Acesso em: 20/12/2020.

BRASIL. Constituição dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro, 18 de setembro de 1946. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao46.htm. Acesso em: 08/03/2021.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: 05 outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/DOUconstituicao88.pdf. Acesso em: 08/03/2021.

CAMPOS, V. F. A. Mãe Stella de Oxóssi: perfil de uma Liderança Religiosa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

CARVALHO, S. R. A Identidade na Fronteira Deslizante dos Estereótipos. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.

CEGALLA, D. P. Dicionário escolar da Língua Portuguesa. 2. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2008.

CRUZ, G. Humanista: Jornalismo e Direitos Humanos. 9 de novembro de 2018. Disponível em: https://www.ufrgs.br/humanista/2018/11/09/jorge-amado-emenda-liberdade-de-culto/. Acesso em: 10/03/2021.

DAMASCENO, T. M. Nas águas de Iemanjá: um estudo das práticas performativas no candomblé e na festa à beira-mar. Tese de doutorado (Doutorado em Artes Cênicas). p. 235 fls. Rio de Janeiro: Unirio, 2015. Disponível em: http://www.repositoriobc.unirio.br:8080/xmlui/handle/unirio/11185?show=full. Acesso em: 13/12/2020.

EAGLETON, T. Teoria da literatura: uma introdução. Tradução: Waltensir Dutra. 6ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

FERRETTI, S. E. Sincretismo afro-brasileiro e resistência cultural. Horizonte antropológico, Porto Alegre, v.4, n.8, 1998, p.182-98. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/ha/v4n8/0104-7183-ha-4-8-0182.pdf>. Acesso em: 15/04/2020

GOMES, D. D. O.; CARNEIRO, E. M. C.; MADEIRA, M. Z. A. Mulheres negras, racismo estrutural e resistências. Disponível em: www.periodicos.ufes.br/ABEPSS, Anais do 16º Encontro Nacional de Pesquisadores em Serviço Social. Vitória: UFES, 2 a7 de dezembro de 2018. Acesso em: 11/12/2020.

PINTO, A. Dicionário da Umbanda: anexo-pequeno vocabulário da língua Yoruba. Rio de Janeiro: ECO, 1971.

PRANDI, R. Referências sociais das religiões afro-brasileiras: sincretismo, branqueamento, africanização. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v.4, n.8, 1998, p. 151- 67. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/ha/v4n8/0104-7183-ha-4-8-0151.pdf.>. Acesso em: 09 fev. 2021.

PRANDI, R. Religião e sincretismo em Jorge Amado. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz; GOLDSTEIN, Ilana Seltzer (org.). Caderno de leituras: O universo de Jorge Amado - 139 Orientações para o trabalho em sala de aula. São Paulo: Companhia das letras, 2009. Disponível em: http://www.jorgeamado.com.br/professores.php. Acesso em: 09 fev. 2021.

SILVA, L. T. A análise das obras literárias sob a égide da intolerância. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 07, Vol. 13, pp. 173-193. Julho de 2019. Disponível em: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/ciencias-sociais/egide daintolerancia?pdf=34898. Acesso em: 10/12/2020.

VALLADO, A. Iemanjá, a grande mãe africana do Brasil. Rio de Janeiro: Pallas, 2002.

VALMAN, D. B. C.; JESUS, P. G. S. Tabuleiro da Baiana: Comida na Festa de Ibeji. UNEF- Unidade de Ensino Superior de Feira de Santana: Feira de Santana, 2018. Disponível em: https://unef.edu.br/site/wp-content/uploads/2019/09/tabuleiro-dabaiana-comida-na-festa-de-ibeji.pdf. Acesso em: 27/12/2020.

VASCONCELOS, J. G. Etnocenologia de um capoeira justiceiro. Educação em Debate. Fortaleza. v. 1 e v. 2, n. 53 e 54, ano 29, 2007. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15445. Acesso em: 14/12/2020.

VEIGA, B. Jorge, o filho amado da cidade da Bahia. In: BIAGIO, D.; SILVA, M. R. Cacau, Vozes e Orixás na escrita de Jorge Amado. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2013.

VERGER, P. Orixás: Deuses iorubás na África e no Novo Mundo. Traduzido por Maria Aparecida da Nóbrega. Salvador: Fundação Pierre Verger, 2018.

VIANA, F. R. O. A figura feminina na obra de Jorge Amado: Tereza Batista Cansada de Guerra. Trabalho de conclusão do Curso de Especialização em Língua Portuguesa da Faculdade do Vale do Jaguaribe – FVJ, em Aracati - CE. Julho, 2009. Fonte em: 141 http://blogdotinocoluna.blogspot.com/2009/07/tereza-batista-cansada-de-guerra.html: Acesso em: 09 nov. 2020.

Downloads

Publicado

2022-05-07

Como Citar

Santos, M. B. dos. (2022). O sincretismo religioso e a relevância sociocultural da literatura de Jorge Amado. A Cor Das Letras, 23(1), 126–140. https://doi.org/10.13102/cl.v22i3.7487

Edição

Seção

Dossiê: Um Jorge Amado para o século 21: leitores, narração, identidade, humanismo e mundos ficcionais